Jesus perdeu por culpa própria e sabe disso!

Jesus perdeu por culpa própria e sabe disso!

Uma vez mais, como já fez no Benfica, o agora treinador do Sporting abdicou da UEFA para apostar tudo em ser campeão nacional

Legia-Sporting-03Jorge Jesus surpreendeu tudo e todos ao apostar numa estratégia no mínimo estranha, esta quarta-feira, num jogo em que precisava de empatar para continuar na Liga Europa , frente ao modesto Légia que já havia perdido no primeiro jogo desta fase de grupos da Liga dos Campeões quando visitou o Estádio de Alvalade, e que tinha apenas um ponto conseguido num surpreendente empate garantido perante o Real Madrid (3-3).

PUB

Com uma equipa nada condicente com aquilo que já apresentara esta época, Jesus permitiu espaço ao Legia para se adiantar no marcador e só quando a turma de Alvalade já estava a perder, com o golo à meia-hora do brasileiro Guilherme, é que o técnico dos "leões" tentou emendar a mão para que a sua equipa pudesse correr atrás do prejuízo. É certo que não teve a sorte do jogo, viu mesmo os seus pupilos falharem golos de baliza escancarada, como aconteceu como André Filipe na segunda metade da partida, mas também é verdade que valeu ao Sporting o guarda-redes Rui Patrício para impedir o Legia de conseguir uma vitória mais volumosa. O Sporting ficou pelo caminho das competições europeias e a culpa, ou pelo menos parte dela, tem que ser apontada a quem a teve: Jorge Jesus.

E sejamos claros... ver Jorge Jesus abdicar das provas da UEFA não é novidade nenhuma e nem surpreende da parte de um treinador que, já ao serviço do Benfica, teve iguais prestações, ele que apenas por uma vez, na época 2013-2014, conseguiu unir um título a uma boa prestação europeia, e mesmo assim caindo da Liga dos Campeões para a Liga Europa. Nas demais épocas em que o Benfica foi campeão com Jorge Jesus o agora treinador do Sporting ficou sempre eliminado das provas da UEFA nas respectivas fases de grupos, ou nem a estas chegou.

Perante isto, a eliminatória do Sporting na presente temporada das provas da UEFA, estando Jorge Jesus empenhado como está na conquista do campeonato, ainda mais depois da distância para o Benfica ter ficado mais curta na Liga NOS após a derrota dos "encarnados" na Madeira, foi mais do que previsível.

“Ver Jorge Jesus abdicar das provas da UEFA não é novidade nenhuma e nem surpreende da parte de um treinador que, já ao serviço do Benfica, teve iguais prestações...”

Num treinador que já no passado mostrou a sua convicção de que nenhuma equipa portuguesa tem capacidade de chegar longe nas provas europeias, nomeadamente na Champions, e que abdicou sempre desta competição para poder depois apostar nas provas caseiras, pouco mais se poderia esperar. O jogo desta quarta-feira, frente ao Legia de Varsóvia, equipa cuja última vitória nas provas da UEFA acontecera a 18 de Outubro de 1995, há 21 anos, por 1-0 sobre o Blackburn Rovers, implicava para o Sporting a obrigação de vencer, mesmo sabendo que só precisava de jogar para o empate. A estratégia foi apostar nos serviços mínimos, procurando garantir o empate, e no fim saiu a fava aos "leões" descoberta no golo do brasileiro Guilherme.

Jorge Jesus aposta todas as fichas no campeonato português, tem toda a legitimidade para o fazer, nomeadamente se os dirigentes do clube que o empregarem pactuarem com esta estratégia, e tem também todas as condições para o conseguir, nomeadamente agora que até poderá vencer já no próximo domingo frente ao rival Benfica e passar para a frente do campeonato, algo que levará rapidamente os adeptos leoninos a esquecerem em absoluto o desaire de hoje. Porém, uma equipa que se quer grande, em Portugal mas também no Mundo do futebol, como é o Sporting, precisa de um treinador mais ambicioso e com mais e melhores resultados nas provas da UEFA.

Ser finalista da Liga Europa é bom, sem qualquer dúvida, e nem todos se podem gabar de o serem por duas vezes como Jesus o foi ao serviço do Benfica, o seu anterior clube. Contudo, a Liga Europa, como no passado a Taça UEFA, continuar a ser sempre a "segunda linha" das competições europeias atrás da milionária "Champions League".

Num outro patamar estarão sempre aqueles que levam as suas equipas, seja uma vez ou mais do que isso, a estarem entre os 16 melhores após a fase de grupos da "UEFA Champions League"ou para além disso, e será bom que alguém lembre isso mesmo a Jorge Jesus.

texto: Jorge Reis
fotos: reprodução ©Twitter 

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.