Panathlon Clube de Lisboa celebrou 37 anos

Panathlon Clube de Lisboa celebrou 37 anos

Na Gala do 37º Aniversário foram atribuidos pelo Panathlon Clube de Lisboa o prémio com o seu nome mas também o prémio “Fair Play”

Gala2016-PremiadosEncerrando mais um ano de actividades, o Panathlon Clube de Lisboa promoveu na última segunda-feira a Gala do 37º Aniversário, tal como em anos anteriores no Real Palácio Hotel , em Lisboa, um evento no qual foram galardoadas personalidades que, ao longo de 2016, se distinguiram na afirmação do ideal desportivo e dos seus valores morais e culturais, contribuindo para difundir o conceito de desporto inspirado na ética da responsabilidade e no espírito de solidariedade e de fair play como defendem os princípios desta entidade aniversariante.

PUB

Numa noite em que, através do Panathlon Clube de Lisboa, se reuniram algumas das figuras mais sonantes do dirigismo desportivo nacional, desde responsáveis associativos e federativos até entidades oficiais, coube a Manuel Brito, o presidente do Panathlon Clube de Lisboa deixar algumas palavras sobre o estado do Desporto em Portugal e do dirigismo desportivo. Depois de deixar algumas considerações sobre o caminho que o movimento Panathlon tem realizado pelo mundo, e em particular aquele que tem sido trilhado pelo Panathlon Clube de Lisboa, este responsável recordou a importância do Desporto nos tempos actuais em três domínios que disse serem "essenciais".

- A importância social, cultural e educativa do desporto;
- A importância económica do desporto na nossa sociedade;
- A importância do desporto na saúde pública.

Lembrando o facto de ter terminado há pouco "um ciclo olímpico (Rio 2016) que não correu bem em termos de resultados desportivos", Manuel Brito considerou ser necessário aproveitar esta fase "para uma reflexão e um planeamento rigoroso do que deve ser o Desporto nacional em todas as suas vertentes e contextos", afirmando ainda estar o Panathlon "disponível para dar o seu contributo".

Gala2016-MBritoGala-SergioMaciel-FairPlay

Ultrapassado o discurso inicial, avançou esta Gala para a atribuição dos prémios da noite, tendo sido distinguidos o canoísta Sérgio Maciel com o Prémio "Mário Simas" de Fair Play, distinção que premiou a sua atitude no mundial de juniores (C1) em que parou a canoa que tripulava enquanto o também canoísta português Mário Apura, pôde reentrar na pista certa depois de se ter enganado no percurso, o que o obrigou a recuar e lhe poderia ter custado a conquista da medalha de ouro naquela competição.

Ainda em relação aos distinguidos desta noite, referência para a atribuição do Prémio Panathlon Clube de Lisboa ao professor e escritor António Vasconcelos Raposo, alguém cuja vida tem sido vivida sempre ao mais alto nível no desporto consagrada por diversos êxitos a vários níveis.

Nota ainda para a distinção com o Prémio "Luís Caldas" para os associados José Casquinha e José Manuel Martins, pela respectiva assiduidade nas sessões mensais promovidas pelo Panathlon Clube de Lisboa, em parceria com o Ginásio Clube Português, num Jantar de Gala que terminou com uma intervenção do Juiz Desembargador Armando Leandro sobre "o desporto como factor de promoção doas direitos da criança e dos jovens". A propósito deste tema, aliás, o Panathlon Clube de Lisboa irá colocá-lo em debate quando, no próximo dia 7 de Janeiro, levar a efeito um Seminário Internacional, a realizar em cooperação com o Comité Olímpico, que versará os "Deveres dos pais no desporto para a educação das jovens".

texto: Jorge Reis
fotos: Marques Valentim 

Gala2016-VasconcelosRaposoGala-ArmandoLeandro

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.