Benfica vence Marítimo com “bis” de Jonas (3-0)

Benfica vence Marítimo com “bis” de Jonas (3-0)

Perante pouco mais de 57 mil adeptos, a equipa do Benfica ultrapassou o conjunto madeirense com três golo no primeiro tempo

 JPT4392Um autogolo apontado por Luís Martins e mais dois do brasileiro Jonas, respectivamente aos 34', 35' e 45' minutos, permitiram ao Benfica somar mais três pontos para a Liga NOS , ultrapassando assim com uma vitória sobre o Marítimo, por 3-0, a 29ª jornada do campeonato. Para os homens da Luz, onde foi disputada esta partida, ficam agora a faltar cinco "finais" para a atribuição do título de campeão nacional que, para os "encarnados", poderá ser ser o desejado tetra caso não percam pontos ou, pelo menos, mantenham a distância para o perseguidor directo, o FC Porto, que joga apenas este sábado frente ao Sporting de Braga no Estádio do Dragão.

PUB

Para defrontar o Marítimo, o técnico Rui Vitória decidiu apostar no mesmo "onze" da última ronda com o qual venceu o Moreirense pela vantagem mínima na última jornada, em Moreira de Cónegos. Jonas e Mitroglou, com Pizzi nas costas e Rafa e Sálvio nos corredores laterais tinham a missão de chegar à baliza da turma madeirense, com Fejsa na posição seis à frente do quarteto defensivo esperado, com Grimaldo, Lindeloff, Luisão e Nélson Semedo à frente do guarda-redes Ederson. Do outro lado, o Marítimo às ordens do técnico Daniel Ramos, que desde a 15ª jornada perdera apenas um jogo em 13 disputados, por certo que teria a esperança de surpreender o tri-campeão, mas a verdade é que pouco mais fez do que defender os caminhos para a sua baliza, apostando em colocar uma linha mais recuada encostada à baliza de Charles por vezes composta por cinco e até seis homens.

Para contrariar a bem organizada defesa da turma insular, o Benfica procurou espaços nos corredores laterais, com Sálvio à direita e Rafa à esquerda a tentarem cruzamentos tensos que pudessem encontrar lá na frente Jonas e Mitroglou. Acabou por ser num desses cruzamentos, pelo corredor esquerdo, que Rafa endossou a bola para Mitroglou, colocado este já dentro da pequena área da baliza do Marítimo. A bola, cruzada tensa e com velocidade, não chegou ainda assim ao gregos do Benfica já que, pelo caminho, Luís Martins, um lateral firmado na academia dos "encarnados", no Seixal, cortou o caminho da bola acabando no entanto por a desviar para dentro da baliza, fazendo assim um auto-golo que desfez a igualdade inicial.

 JPT4226 JPT4245 JPT4258 JPT4273

O golo desmontou, ainda que por instantes a defesa do Marítimo, assente na concentração dos seus elementos, e por força disso mesmo o Benfica demorou apenas mais um minuto a chegar ao segundo golo, agora apontado por Jonas, num lance iniciado por Rafa Silva, de novo ele, a combinar com Pizzi que descobre Jonas em frente à grande-área do Marítimo. Feito o passe para o avançado brasileiro, Pizzi ainda se desmarcou para o interior da área, porventura na esperança de receber de novo a bola e ficar isolado em frente a Charles, mas Jonas, com instinto que lhe é característico, rematou para junto do poste direito da baliza do Marítimo, fazendo a bola entrar junto ao ferro sem possibilidade de defesa para Charles.

A perder por 2-0, nem por isso o Marítimo alterou o seu jogo, mantendo-se incapaz de importunar o guarda-redes Ederson que foi resolvendo os poucos lances que o importunaram sem grande dificuldade. Ao mesmo tempo, o Benfica continuava a procurar dilatar a vantagem mas foi necessário um lance confuso dentro da grande-área do Marítimo no último minuto antes do intervalo para que surgisse mesmo o terceiro golo dos "encarnados", uma vez mais apontado por Jonas, depois de uma defesa incompleta de Charles a um cabeceamento de Luisão. O jogo chegava assim ao intervalo com uma confortável vantagem para o Benfica que iria manter-se até ao final.

 JPT4261 JPT4287 JPT4302 JPT4325

De um lado e do outro, no segundo tempo, as estratégias foram mantidas, com o Marítimo conformado com a derrota do terreno de um candidato ao título, perante uma equipa do Benfica já a pensar no jogo do próximo fim-de-semana, a disputar no Estádio de Alvalade perante o Sporting, o dérbi entre eternos rivais que poderá mesmo ter uma influência determinante na discussão do campeonato.

Rui Vitória pôde tirar do jogo o médio Pizzi, ele que se visse um cartão amarelo ficaria impedido de defrontar os "leões" e que, por via disso, deu o seu lugar a Filipe Augusto, também substituindo Jonas, o homem que resolveu este jogo e que ao minuto 61' deu o seu lugar a Zivkovic, e permitindo ainda alguns minutos de jogo a Franco Cervi, no lugar de Rafa ao minuto 80.

À beira do fim da partida, o árbitro Nuno Almeida, que ao longo de todo o jogo não complicou nem mostrou nenhum cartão, numa partida disputada de forma correcta e sem casos, deu ainda assim mais três minutos quando as duas equipas apenas esperavam a indicação para saírem para os balneários.

 JPT4344 JPT4388 JPT4209 JPT4400

O apito final chegou pouco depois, para alegria dos pouco mais de 57 mil adeptos que quase encheram as bancadas do Estádio da Luz, eles que ultrapassada cada final acreditam mais no tetracampeonato para o Benfica, um objectivo para o qual o caminho surge plenos ainda de obstáculos, nomeadamente já na próxima jornada com a visita ao terreno do Sporting. Já do lado do Marítimo, que pretende assegurar o sexto lugar em que se encontra e com isso chegar às pré-eliminatórias da Liga Europa, tem todas as condições para isso, mesmo sabendo que terá que assumir o papel de "obstáculo" a quem corre pelo título, nomeadamente ao FC Porto cujo o terreno terá que visitar na derradeira jornada.

E se à partida para este jogo faltavam seis finais para o Benfica, esta foi ultrapassada com os golos de Jonas, um dos homens do jogo a par de Rafa Silva, mais o autogolo inaugural de Luís Martins, segurando a turma na Luz na frente do campeonato. Tem a palavra para a discussão do título o FC Porto na visita, este sábado à pedreira do Sporting de Braga.

texto: Jorge Reis
fotos: João Trindade 

 JPT4406 JPT4409 JPT4429 JPT4558
Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.