Morte em dia de dérbi obriga a agir!

Morte em dia de dérbi obriga a agir!

Um adepto italiano da Fiorentina em Portugal para apoiar a claque Juventude Leonina morreu junto ao Estádio da Luz vítima de atropelamento

SCPvsSLBO dia do dérbi entre o Sporting e o Benfica, a disputar mais logo no Estádio de Alvalade, começou com a notícia da morte de um italiano alegado adepto do Sporting junto ao Estádio da Luz, vítima de atropelamento e fuga no momento em que estaria envolvido numa rixa entre adeptos dos dois clubes junto ao recinto dos "encarnados".

PUB

A história desde logo é estranha já que, ao que parece, esse indivíduo, apontado como líder da claque da Fiorentina, terá viajado de Itália para se juntar com a claque do Sporting, Juventude Leonina, no apoio aos "leões" contra o Benfica, e, nesse contexto, terá ido ao Estádio da Luz na madrugada deste sábado, onde se envolveu em troca de agressões com adeptos do Benfica. Ora, aqui residirá o primeiro problema: será normal alguém viajar de um qualquer país até Portugal para se juntar à claque de um qualquer clube e ir envolver-se em desacatos graves à porta de outro clube onde nem sequer se disputava qualquer jogo!?

Decididamente, há adeptos, e existem em todas as cores e em todos os clubes, para quem o conceito de desporto e de futebol só é perceptível se houver violência, provocação, discussão. Há adeptos que passam um jogo de futebol de costas voltadas para os jogos incitando os seus pares por vezes não no apoio às suas equipas mas antes nas provocações e nos insultos aos clubes adversários. E se estamos à esperasse haja uma tragédia entre os adeptos para se agir, então sou levado a crer que não há condições para que o futebol prossiga no actual formato.

Na verdade, se não há condições para que o futebol funcione com claques e adeptos que não se sabem comportar, jogue-se à porta fechada durante uma época... mas em todos os clubes! Obrigue-se de facto os líderes das claques e os adeptos violentes a apresentarem-se nas esquadras às horas dos jogos! Párem de falar e funcionem de facto!

Durante um ano, os clubes continuarão a viver dos direitos televisivos e os adeptos, esses, irão ter tempo para perceber que porque são obrigados a ver o futebol em casa!

Depois, ao expurgar o futebol dos índios que gostam mais de agitação e desordem do que de futebol, obrigando-os a apresentarem-se nas esquadras à hora dos jogos, certamente que estes seriam bem mais sossegados.

É mais barato e mais eficaz obrigar os energúmenos agitadores a apresentarem-se nas esquadras na hora dos jogos, impedindo-os de ir aos mesmos, do que serem mobilizados recursos para fazer as famosas "caixas de segurança" para levar os meninos ao futebol!

Está na altura para alguém ter coragem de mudar o rumo que o futebol está a seguir!

Eu não quero um desporto em que tenho medo de deixar ir os meus filhos assistir aos jogos!

Eu não quero um desporto em que nas bancadas se ouvem mais insultos do que apoio às equipas!

Mas também não quero um desporto em que as equipas têm comportamentos à canelada e nada ou quase nada lhes acontece!

Também não quero um desporto em que os dirigentes se insultam entre eles e insultam os que não são das mesmas cores e nada lhes acontece!

Também não quero um desporto em que há castigos e eles são ignorados e em que os dirigentes castigados assobiam para o lado porque sabem que nada lhes acontece de facto!

Também não quero um desporto que gere milhões, em que bilhetes são vendidos no mercado negro a milhares de euros, e depois há multas para prevaricadores dentro das quatro linhas de algumas centenas de euros!

Gosto de futebol, amo futebol, quero continuar a poder ir ao futebol, quero continuar a ver crianças a gostar de futebol e a irem assistir a jogos de futebol... mas em segurança e com condições de segurança... e compete a quem dirige o país e o futebol português criar condições para que essa segurança exista.

Há que parar de falar e agir! Já!

JorgeReis

Jorge Reis

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.