FC Porto cumpre e vence (0-2) para lá do Marão

FC Porto cumpre e vence (0-2) para lá do Marão

Em casa do Desportivo de Chaves, os "Dragões" responderam à altura da pressão imposta pela corrida ao título e somaram mais três pontos

Chaves-FCP-06Depois do Benfica ter vencido na Luz o Estoril Praia, num jogo complicado para os "encarnados", o FC Porto, na corrida pela conquista do campeonato, respondeu com outro triunfo , neste caso em casa do Desportivo de Chaves, com dois golos apontados no segundo tempo de um jogo que a equipa visitante demorou a inclinar para o seu lado mas que o fez com merecimento e justiça. O Desportivo de Chaves ainda procurou bater o pé ao adversário, manteve a sua baliza inviolada até ao minuto 52, quando Tiquinho Soares fez o primeiro golo, mas não encontrou capacidade de resposta capaz para voltar a agarrar no comando do jogo depois daquele momento.

PUB

À partida para este jogo, a pressão colocada pela necessidade de somar os três pontos estava por inteiro sobre os ombros dos jogadores do FC Porto, conscientes de que qualquer escorregadela no presente campeonato poderá significar a perda do mesmo, ainda mais depois do Benfica já ter somado os três pontos no passado sábado. Nuno Espírito Santo apostou assim num "onze" com os suspeitos do costume, com Casillas entre os postes, um quarteto defensivo formado por Maxi Pereira, Felipe, Marcano e Alex Telles, ainda o médio Rúben Neves no lugar do lesionado Danilo, num meio-campo com Corona, André André e Otávio a apoiarem a dupla ofensiva formada por Diogo Jota e Soares. Com Otávio e Corona como titulares, eram relegados para o banco de suplentes elementos como André Silva ou Oliver, mas também Herrera, João Teixeira, Rui Pedro, Boly ou o guarda-redes José Sá.

Do lado do Desportivo de Chaves, com sete elementos lesionados — Vukcevic, Felipe Lopes, Mathaus, Fall, João Mário, Petrovic e Fábio Santos — e dois jogadores emprestados pelo FC Porto e por isso impedidos de jogar — Ricardo (GR) e Rodrigo — tornou-se quase óbvia a formação do “onze”, com António Filipe entre os postes, atrás de uma linha defensiva formada por Pedro Queirós, Carlos Ponck, Nuno André Coelho e Nelson Lenho, ainda dois médios mais defensivos, Pedro Tiba e Bressan, estes com a missão de fazerem a transição para os lances ofensivos num meio-campo formado por Fábio Martins, Braga e Perdigão com Rafa Lopes como o homem mais adiantado.

Chaves-FCP-03Chaves-FCP-04Chaves-FCP-05

Com as pedras colocadas sobre os tabuleiro do relvado transmontano, Chaves e FC Porto foram experimentando forças nos primeiros 45 minutos, com o FC Porto a ter mais bola e mais oportunidades mas nem por isso a conseguir fazer funcionar o marcador. Otávio apareceu como o número 10, nas costas de Tiquinho Soares, com Corona à direita e Diogo Jota à esquerda, um esquema que foi construindo algumas oportunidades sem no entanto as concretizar. Ainda assim, a primeira verdadeira oportunidade de golo só surgiu já depois da meia-hora de jogo, num pontapé forte desferido por Soares. Depois disso, Rúben Neves voltou a vusar a baliza à guarda de António Filipe, mas o intervalo chegou mesmo sem golos.

Acabou assim por ser no segundo tempo que chegaram os golos, em lances nos quais André André foi o homem determinante, primeiro ao minuto 52, com um remate forte que obrigou o guarda-redes do Desportivo de chaves a defender para a sua frente, aparecendo Tiquinho Soares na recarga para o primeiro golo da partida. Por esta altura, os "dragões" acabavam assim por chegar justamente à vantagem, isto porque eram a única equipa que, sem fazer um jogo excepcional, era ainda assim quem mais procurava o golo.

Chaves-FCP-01Chaves-FCP-07Chaves-FCP-08

O Desportivo de Chaves acusou o golo, baixou linhas, deixou espaço para os homens de azul-e-branco, e o segundo golo acabou mesmo por aparecer, aos 72 minutos, com André André agora a marcar, assumindo-se assim como o homem do jogo, ele que deu um golo a marcar e apontou o segundo. Oliver fez agora a assistência e André André, com um remate com mais força do que técnica, enviou a bola para o fundo da baliza do Desportivo de Chaves.

A equipa visitante chegava assim ao segundo golo, Casillas mantinha a sua baliza inviolada, e os três pontos eram assim conquistados pela turma portista mantendo-se na corrida com o Benfica pelo título referente à corrente época, algo que será discutido em mais três jornadas. O FC Porto terá assim que avançar desde já para a preparação da visita ao terreno do Marítimo, no próximo sábado, um jogo que acontecerá desta feita antes do compromisso do Benfica que, também na próxima jornada, irá jogar em Vila do Conde frente ao Rio Ave, no domingo dia 7 de Maio. Já o Desportivo de Chaves, à margem desta luta pelo título, desloca-se a casa do Estoril Praia na próxima segunda-feira, para um jogo que terá a curiosidade que colocar frente a frente as duas formações que defrontaram agora “águias” e “dragões”.

texto: José Andrade
fotos: reprodução ©Twitter

Chaves-FCP-02

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.