FC Porto bate Chaves com golos do trio de ataque

FC Porto bate Chaves com golos do trio de ataque

Aboubakar, Soares e Marega marcaram os golos no Estádio do Dragão que determinaram o triunfo portista (3-0) frente ao Desportivo de Chaves

FCP-Chaves-00O FC Porto manteve este fim-de-semana a liderança do campeonato da I Liga, ainda que com os mesmos pontos do Sporting, depois da vitória sobre o Desportivo de Chaves (3-0) este domingo no Estádio do Dragão. Depois de uma primeira parte marcada por algum equilíbrio, ainda assim com a equipa da casa a andar mais próxima da baliza contrária, uma entrada mais forte no segundo tempo permitiu desde logo desbloquear o marcador, com Aboubakar a fazer o primeiro golo do jogo aos 49 minutos, na sequência de um passe de Tiquinho Soares. Desde ali a vencer, o FC Porto teve mais oportunidades para chegar ao golo, mas só o conseguiu à beira do fim, aos 86 minutos por Soares, e três minutos depois por Marega, fechando um resultado curiosamente construído com golos dos homens do trio de ataque do FC Porto.

PUB

Para este jogo, o técnico portista Sérgio Conceição começou por deixar Soares no banco, apresentando um "onze" com Casillas entre os postes atrás de uma linha defensiva em que se destacou a chamada à titularida de Layún, por troca com o jovem Ricardo Pereira desta feita relegado para o banco de suplentes. Felipe, Marcano e Alex Telles completaram aquele quarteto defensivo, tendo alinhado ainda na formação titular do FC Porto os médios Corona, Danilo, Óliver Torres e Brahimi, sobrando os lugares mais adiantados no terreno para Marega e Aboubakar.

Do lado do Desportivo de Chaves, o técnico Luís Castro, ele que pôde assim revisitar o Estádio do Dragão no qual foi técnico principal da equipa da casa, escalou agora para este jogo um "onze" formado por Ricardo Nunes entre postes, uma defesa composta por Paulinho, Domingos Duarte, Nikola Maras e Djavan, ainda Jefferson, Bressan e Pedro Tiba no meio-campo defensivo, com William como o homem mais adiantado apoiado por Davidson e Perdigão nas alas.

Com estes argumentos de um e outro lado, foi ainda assim sempre o FC Porto quem teve mais posse de bola e maior controlo do jogo, mesmo durante a primeira metade da partida em que ficou claro algum défice ofensivo, e em particular no capítulo da finalização por parte da equipa da casa. Sérgio Conceição apercebeu-se disso mesmo, apostando todas as fichas no ataque logo após o intervalo, quando chamou ao jogo Soares por troca do Corona. Danilo assumiu por inteiro a posição "seis" passando o FC Porto a jogar muitas vezes num 4x3x3, com Aboubakar como ponta-de-lança apoiado por Soares e Marega a entrarem pelos flancos. Na linha média bastava agora o apoio de Oliver a Danilo, continuando Brahimi a surgir como um médio-ala particularmente ofensivo a manter a defesa do Desportivo de Chaves em constante sobressalto.

FCP-Chaves-03FCP-Chaves-06

Foi com o trio de ataque em pleno que o FC Porto chegou aos golos, primeiro por Aboubakar, num lance em que um passe de Soares colocou o camaronense Aboubakar no caminho do golo. Depois de ganhar posição mesmo perante a oposição de Paulinho, o avançado do FC Porto rematou para a baliza de Ricardo, a bola ainda bateu nas pernas de Paulinho perdendo velocidade mas acabando por ver a sua trajectória alterada traindo o guardião flaviense. A equipa da casa ficava assim em vantagem, podendo a partir dali jogar com maior tranquilidade perante um adversário que até então tinha construído apenas uma oportunidade digna desse nome ainda no primeiro, à passagem do minuto 29'.

Perante 43.109 espectadores nas bancadas do Estádio do Dragão, e depois de ter estado à beira de novo golo ao minuto 61, quando Soares teve todas as condições para fazer o segundo golo da partida ao falhar um cabeceamento que até parecia fácil depois dum cruzamento de Marcano, foi preciso esperar pelos derradeiros minutos da partida para que o FC Porto aumentasse a sua vantagem.

Curiosamente, e tal como acontecera no primeiro tempo, também na segunda metade da partida o Desportivo de Chaves esteve à beira de marcar, ao minuto 71, e uma vez mais por William, aqui depois de um cruzamento de Paulinho, mas também neste caso a bola passou perto da baliza de Casillas mas fora dos postes.

Acabaria por surgir novo golo sim mas na baliza do Desportivo de Chaves, ao minuto 86 por Soares, na transformação de uma grande penalidade. Soares tentou cabecear a bola, esta bate nos braços de Maras que saltou de braços no ar, e o árbitro Rui Oliveira não teve qualquer dúvida no assinalar da grande penalidade que o mesmo Soares se encarregou de bater. No primeiro remate Ricardo ainda defendeu o pontapé do castigo máximo, mas na recarga o mesmo Soares atirou a contar, fazendo o 2-0.

Três minutos depois do golo de Soares foi a vez de Marega faturar de pé direito, assinando o 3-0 depois de um cruzamento de Oliver que dificilmente poderia ter sido feito com maior rigor.

FCP-Chaves-08FCP-Chaves-09

O FC Porto assinou assim o seu quinto triunfo no presente campeonato da I Liga, mantendo-se assim na frente do campeonato, em igualdade pontual com o Sporting mas com melhor produção no que diz respeito à diferença entre golos marcados e sofridos. Assim, enquanto o FC Porto tem 12 golos marcados e nenhum sofrido, sendo aliás a única equipa sem golos sofridos no campeonato, o Sporting tem 13 golos marcados, mas já três sofridos.

A turma portista aponta agora baterias à Liga dos Campeões, competição para a qual jogará na próxima quarta-feira, neste mesmo Estádio do Dragão perante os turcos do Besiktas, para depois voltar ao campeonato nacional no terreno do Rio Ave, no próximo domingo, dia 17, em partida da sexta jornada da I Liga. Já o Desportivo de Chaves, terá na próxima ronda do futebol nacional a recepção ao Moreirense.

texto: José Andrade
fotos: reprodução ©Twitter 

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.