Sporting goleia Chaves em jogo tornado fácil

Sporting goleia Chaves em jogo tornado fácil

Em Alvalade, frente ao Desportivo de Chaves, os "leões" cumpriram o favoritismo e bateram o Desportivo de Chaves por um claro 5-1

 2FA6813Vindo de uma derrota em jogo da Liga dos Campeões, frente à Juventus, onde perdeu um jogo que até teve na mão, o Sporting regressou às vitórias, agora em jogo da Liga NOS , com um triunfo claro e inequívoco frente ao Desportivo de Chaves, por 5-1, num jogo em que, ao intervalo, os "leões" já venciam por 3-0, acabando a partida com o golo de honra dos flavienses que eu nada contraria o domínio constante da turma de Alvalade nesta partida da nona jornada do campeonato.

PUB

O avançado holandês Bas Dost, com um “hat-trick”, foi claramente o homem do jogo, lado a lado com Acuña que marcou os outros dois golos, ou Daniel Podence que, sem ter marcado qualquer golo, ele que regressou nesta partida à titularidade, mostrou capacidade para integrar as escolhas para os primeiros onze por parte do técnico Jorge Jesus.

Para além destes três elementos, quase sempre os mais adiantados no terreno por parte da turma leonina, Jesus chamou a jogo, como titulares, também o guarda-redes Rui Patrício, os defesas Piccini, Coates, Mathieu e Coentrão, também os médios Gelson, William Carvalho e Bruno Fernandes. Já no segundo tempo, e quando precisou de dar novas forças à sua equipa, Jesus fez entrar em campo Battaglia por troca com Podence, também Doumbia para o lugar de Gelson Martins, e ainda Bruno César a entrar para a saída de Fábio Coentrão, com este mais uma vez a não completar os 90 minutos em campo.

 1LM2708 1LM2724 1LM2743 2FA6637

Do lado do Desportivo de Chaves, o técnico Luís Castro chamou para este jogo à titularidade o guarda-redes Ricardo, ainda os defesas Paulinho, Anderson, Maras e Djavan, com Tiba, Jefferson e Bressan na linha média, aparecendo depois mais na frente Perdigão, Platiny e Davidson. Com estes argumentos, nem se poderá dizer que o Chaves estacionou o autocarro à frente da baliza, porque não o fez, tentando antes, aqui e ali, encontrar os melhores caminhos para a baliza de Patrício.

O problema do Chaves é que encontrou uma formação do Sporting muito sólida, a realizar um bom jogo, capaz, sem deixar espaços para atrevimentos por parte do conjunot visitante.

A história do jogo é quase a história dos golos, nomeadamente aos 06 e aos 15 minutos com cabeceamentos de Bas Dost, em respostas a cruzamentos, respectivamente, de Bruno Fernandes da esquerda e Podence da direita, e ainda de Marcos Acuña aos 39 minutos, num lance iniciado por Bas Dost que encontra Gelson Martins com  um primeiro passe impecável para este, já dentro da área, entregar a bola para o argentino que só teve de encostar. Ao intervalo o Sporting vencia assim por 3-0 sem que o Desportivo de Chaves desse sinais de conseguir responder à altura dos donos-da-casa.

 2FA6750 2FA6791 2FA6837 2FA6922

Será caso para dizer que o Sporting poderia mesmo ter chegado ao intervalo com maior vantagem, isto porque ao minuto 33 Gelson Martins caiu dentro da área de baliza do Chaves, em lance com evidentes motivos para que o árbitro Rui Costa pudesse assinalar uma grande penalidade.

Certo é que o árbitro entendeu que houve simulação por parte do extremo do Sporting e mostrou-lhe mesmo o cartão amarelo, quando as imagens deixavam a convicção de que tinha mesmo havido lugar a uma grande penalidade. Convicto disso mesmo ficou o vídeo-árbitro Bruno Esteves que deu indicação para que Rui Costa fosse consultar as imagens do lance.

O árbitro até seguiu o conselho que recebeu para rever o lance, viu as imagens não uma mas duas vezes, e no final da consulta entendeu por bem manter a sua decisão inicial, deixando aqui bem claro que a última palavra num jogo de futebol perante um lance duvidoso é sempre do árbitro de campo, seja qual for a opinião do VAR que é meramente indicativa.

 2FA6941 2FA6990 2FA6995 2FA7499

Polémicas à parte, o Sporting manteve o domínio do jogo e os golos continuaram no segundo tempo, nomeadamente aos 58 minutos por Acuña, que responde a preceito depois de uma assistência de Bas Dost, e depois ao minuto 75, agora com o holandês a fazer o terceiro golo para a sua conta pessoal e o quinto do jogo, na resposta a um cruzamento de Piccini a partir do corredor direito.

No último lance do jogo, a fechar os dois minutos que o árbitro Rui Costa deu de compensações para este jogo, foi finalmente a vez do Desportivo de Chaves dar um ar da sua graça, com Davidson a fechar um excelente lance de iniciativa individual com um toque de habilidade que fez a bola passar sobre Rui Patrício para um excelente golo.

texto: Jorge Reis
fotos: Luís Moreira Duarte 

 2FA7062 2FA7332 2FA7568 2FA7605 2FA7619 2FA7675 2FA7688

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.